sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

OLHA-ME & OLHA


OLHA-ME & OLHA

Quando me olhas sinto-me
Como uma noite super estrelada
O teu olhar deixa-me iluminada
Aos poucos os teus carinhosos beijos
Tocam a minha nua branca pele
O meu corpo navega num mar profundo
Infinito com um doce arrepio
Sinto as tuas mãos como um violino
Doce que toca com harmonia
Os acordes perfeitos no meu peito
A emoção no nosso leito é um hino
De paixão entre o teu olhar e o meu.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

AREIA

 R.I.P

AREIA

Sentimentos perfumados em papel molhado
De algumas coisas que ficaram já perdidas
Na areia submersa de um mundo imaginado
Dos passos dados arrancados na suas ondas

Graças de sonhos que os deixei esquecidos
Fantasma de asas entre as palavras germinadas
Na pálpebra das lágrimas para tecer o passado
Coração estilhaçado perfumado na sincera alma.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

PONTOS, VÍRGULAS


PONTOS, VÍRGULAS

A dor do meu peito mastiga
Todos os livros de poesia

O amor que sentia lambia
As palavras entre os pontos

A saudade lembra-me as
Vírgulas escondidas das letras

A dor do meu peito já
Comeu todos os livros de amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

FRÁGIL CORPO


FRÁGIL CORPO

Apesar da nossa morte em ruínas
No peito acabou a ilusão na exaltação
Onde o meu frágil corpo ficou vazio
Preciso voltar escrever um poema
Antes que a noite escura chegue
E me faça um relatório de todas
As recordações que guardo na mente
Antes que o sono da morte cale para
Sempre a minha boca e meu meigo olhar
Preciso escrever o poema da minha vida
Antes que seja tarde e que a escuridão chegue
E que a morte venha e o meu corpo fique frio.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

✿•*•*✿ LOVE

✿•*•*✿ LOVE

A minha dor é infinita
Quando me recordo de ti
Sinto ainda com muita saudade
O sabor dos teus lábios
Ao encontro dos meus
Da forma como as ondas do mar
Rompem com força a tua pálida nudez.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca