sexta-feira, 30 de setembro de 2016

CARVALHO NU

CARVALHO NU

Era a chegada do outono
Do céu as folhas caiam serenas
Nas noites das horas amenas
Entre as sombras de um poema
Carvalho da tua nudez mais nua
Acorda-me se uma andorinha
Perfumada te vier visitar em sonhos
Pudesse talvez eu me perder
Da morte sem levar como as folhas
Que voam onde o vento as levar
Dos incrédulos analfabetos desta vida.

★ * ★ ★ * ★ ★ * ★

Isabel Morais Ribeiro Fonseca